POLITÉCNICO DA GUARDA SERÁ A SEDE DO PÓLO DO OBSERVATÓRIO DO ENVELHECIMENTO NA REGIÃO CENTRO

POLITÉCNICO DA GUARDA SERÁ A SEDE DO PÓLO DO OBSERVATÓRIO DO ENVELHECIMENTO NA REGIÃO CENTRO

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) será a sede na Região Centro do Observatório Nacional do Envelhecimento.

O anúncio foi feito ontem pelo coordenador da rede nacional do Envelhecimento Ativo, Nuno Marques, durante a assinatura do acordo adesão do AgeInFuture – Centro de Referência para o Envelhecimento Ativo e Saudável do Interior da Região Centro – ao Observatório Nacional do Envelhecimento.

“O envelhecimento da população acentuar-se-á nas próximas décadas e terá um impacto significativo na vida das pessoas e do país, afetando o crescimento económico, os cuidados de saúde e a coesão social e do território”, afirma Joaquim Brigas, presidente do Instituto Politécnico da Guarda.

O IPG está orientado para “apoiar a definição de políticas públicas de apoio ao envelhecimento ativo, assim como de políticas para enfrentar os problemas sociais e de saúde com que a população mais idosa se irá deparar no futuro próximo”, afirma, Joaquim Brigas.

Segundo a secretária de Estado da Ação Social, Rita Mendes o pólo do Observatório do Envelhecimento no Politécnico da Guarda terá, uma “inegável relevância para os territórios do Interior e para uma parte significativa das suas comunidades”.

O AgeInFuture é a nova estrutura dinamizada pelo Instituto Politécnico da Guarda, pela Universidade da Beira Interior e pelos politécnicos de Castelo Branco e de Viseu para criar melhores condições de vida aos idosos.

Com a assinatura deste acordo, o AgeInFuture, ficará associado à estratégia do Observatório Nacional do Envelhecimento e terá como objetivo fazer uma avaliação regular dos indicadores do envelhecimento em Portugal, propondo medidas de intervenção para os enfrentar e alterar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *