editorial

O “novo normal” é possível, sim

Covilhã tem retoma de aulas na UBI e eventos. O novo normal está à prova na cidade.

O “novo normal” é possível, sim
ARTE: Ana Ruano

Portugal registou nas últimas semanas, um aumento de casos diários de Covid-19 a ponto do primeiro-ministro António Costa afirmar que o país ultrapassaria os mil casos diários ainda nesta semana. São números semelhantes a Abril, quando estávamos todos em quarentena, mas o cenário nas ruas é muito diferente.

Nesta semana tivemos a retoma das aulas na Universidade da Beira Interior e uma série de eventos a realizar até o fim do mês: os festivais de Teatro, da Cherovia e de Arte urbana mostram que a Covilhã, por exemplo, não parou apesar da pandemia.

O governo também deixou claro que pretende voltar ao confinamento de março e abril. A ideia de termos um Natal da mesma forma em que tivemos a Páscoa é algo descartado no momento. E como podemos fazer para que isso se mantenha?

Foi muito bem o presidente da AAUBI, Ricardo Nora, ao afirmar que a Universidade da Beira Interior só conseguirá ter um semestre no “novo normal” se cada um fizer a sua parte. A sensibilização dos estudantes é essencial para que a instituição não se torne o foco de um surto.

O mesmo serve para todos os outros setores da sociedade. Pode parecer assustador ver as cidades movimentadas, os alunos nas escolas, os eventos a ocorrer. Mas se ficarmos todos em casa e pararmos tudo, a economia vai quebrar e a ameaça do vírus vai permanecer. Isto até que a alguma vacina seja confirmada e disponibilizada.

No editorial anterior, o Viva Serra abordou o facto de todos serem agentes de saúde pública. Concluímos nesta semana, o pensamento a partir do que se vê na Covilhã com a UBI e com os eventos: podemos sim, conviver no “novo normal”. Depende muito de nós!

Redação Viva Serra

Entre em contato com a redação do Viva Serra | jornalismo@redevivacidade.com