O “Novo Normal” vai à prova

8 de Setembro de 2020

Por Giovanni Ramos

IMAGEM: Divulgação

Novo normal. Uma das expressões do ano de 2020 junto com “distanciamento social”, “imunidade de rebanho”, entre outras que a Covid-19 nos presenteou. Desde abril, quando as autoridades planeavam a reabertura das atividades económicas, lemos e escutamos esta expressão em todos os lugares: “novo normal”.

Poderia aqui, escrever parágrafos e parágrafos sobre o que é ser normal, para depois tentarmos entender o que é o “novo normal”. Mas deixamos este lado filosófico de lado. Concentramos aqui no que seria o novo normal segundo os padrões pós-pandemia.

Por meses, restringi meus deslocamentos pela Beira Interior, exatamente para fugir da pandemia. Por aqui, bares abertos, cafés movimentados e a polícia a fiscalizar o Jardim Público após as 23h, para evitar aglomerações e festas nas ruas. Como não sou frequentador de danceterias, o novo normal para mim foi entrar de máscara nos estabelecimentos e o clima de solidão dentro da Universidade da Beira Interior.

Fui recentemente ao Porto em um fim de semana e percebi que a situação era a mesma. Com a diferença que as pessoas usam máscaras nas ruas, o novo normal é semelhante.

Novo novo normal

Aumento de casos em toda a Europa, situação fora do controle em Espanha, retoma das aulas tanto nas escolas quanto nas universidades. Segunda vaga é a expressão que entra no nosso vocabulário. Vamos voltar ao lockdown? Pelas declarações das autoridades, está praticamente descartado um novo confinamento.

Como vamos conviver com o aumento de casos sem um lockdown? Como vamos manter nossas atividades, frequentar espaços públicos com o deslocamento de pessoas dentro do país a crescer com as aulas nas universidades?

A pandemia já causou milhares de mortes e prejuízos sociais no muindo inteiro. Não há mais como voltar a situação de março. O “novo normal” vai ser colocado à prova. Vamos precisar aprender a conviver com o vírus em uma situação nada positiva.

Será um desafio não somente às autoridades, mas a todos nós, cidadãos. Retomar as atividades com o vírus totalmente controlado era uma coisa. O novo novo normal exigirá muito mais…