Economia

Guarda recebe 31.ª Cimeira Ibérica

A Cimeira Ibérica será no próximo sábado, dia 10 de outubro e o principal tema da reunião é apoiar mais as zonas raianas de ambos os países.

Guarda recebe 31.ª Cimeira Ibérica

A 31.ª Cimeira Luso-Espanhola tem como temas centrais a cooperação transfonteiriça e a articulação dos dois países na União Europeia para a recuperação económica, anunciou o Governo Português

Esta cimeira foi acertada pelos primeiros-ministros de Portugal, António Costa, e de Espanha, Pedro Sánchez, a 1 de julho, em Elvas, durante a cerimónia de reabertura de fronteiras terrestres dos dois países.

Este ano, a cimeira será sobre “a cooperação transfonteiriça e a articulação de uma estratégia conjunta para a recuperação económica”, sobretudo no quadro da União Europeia.

Desde o início da pandemia, os dois países ibéricos estiveram na linha da frente das exigências de solidariedade europeia para fazer face às consequências da paragem da atividade económica. Em diversas cimeiras e reuniões do Eurogrupo, os governos de Lisboa e Madrid lutaram pela aprovação de um fundo de recuperação ambicioso, sobretudo em termos de subvenções, assim como pelo fim rápido do impasse ao nível de negociações do Quadro Financeiro Plurianual 2021/2027.

No plano ibérico, os líderes socialistas, têm assumido como principal objetivo a adoção de um conjunto de políticas públicas para o desenvolvimento das regiões transfronteiriças dos dois países, que se encontram entre as mais pobres da Europa.

Ao contrário do que acontece na generalidade das regiões transfronteiriças de Estados-membros da União Europeia, onde fronteira constitui um fator de estímulo ao desenvolvimento da atividade económica, as zonas raianas de Portugal e de Espanha, de acordo com os dois primeiros-ministros, “apresentam uma baixa intensidade de relações económicas e sociais”.

Na apresentação do Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal, na terça-feira, numa sessão com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, deu destaque à questão das desigualdades no território nacional.

“Vamos fazer um investimento para a conectividade e modernização das áreas de localização empresarial no Interior e construir ligações transfronteiriças de Bragança até ao Algarve que rompam com o isolamento de muitos dos territórios do Interior relativamente a Espanha. Esse investimento é absolutamente crucial”, sustentou o Primeiro Ministro

Neste ponto, o primeiro-ministro lamentou que, “por razões históricas bem conhecidas, a fronteira entre Portugal e Espanha é uma exceção e dos dois lados são as regiões menos desenvolvidas dos dois países”. António Costa frisou, ainda, que ” Portugal e Espanha estão juntos neste desafio de transformarem as suas regiões de fronteira em novas centralidades no mercado ibérico”.

António Costa disse mesmo acreditar que pequenas ligações que serão construídas “irão mudar completamente a geografia”. Para o líder executivo, a relação do Interior “não tem de ser exclusivamente com o Litoral”.

“Pelo contrário, as regiões do Interior estão no centro do mercado ibérico. Por isso, estão em melhores condições de aproveitar as sinergias de um mercado com 60 milhões de habitantes da Península Ibérica”, acrescentou.

António Costa e Pedro Sanchéz vão debater a cooperação entre os dois países na recuperação económica. O encontro está marcado há três meses e foi anunciado na segunda-feira, dia 5 de outubro.

Redação Viva Serra

Entre em contato com a redação do Viva Serra | jornalismo@redevivacidade.com