“CIMfonia” dá música aos municípios das Beiras e Serra da Estrela

“CIMfonia” dá música aos municípios das Beiras e Serra da Estrela

A cidade da Guarda recebeu ontem o primeiro momento do projeto “CIMfonia”, que inclui a realização de concertos nos municípios da área da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE).

O “Concerto do Dia da Europa”, na Sé Catedral da Guarda, contou com a Orquestra Filarmónica Portuguesa conduzida pelo maestro Osvaldo Ferreira e com a soprano Raquel Camarinha, que deram início ao “CIMfonia”.

O “CIMfonia” é o primeiro grande evento de 2021, que está integrado no Festival Cultural da Serra da Estrela, das Beiras e da Raia Histórica, que visa “promover a itinerância cultural no território”, dando continuidade à iniciativa “Cultura em Rede das Beiras e Serra da Estrela”, criada entre 15 municípios e a CIM-BSE. 

A CIM-BSE refere, em comunicado, que, até novembro, “todo o território será ‘palco’ para vários concertos icónicos em espaços inusitados e de elevado valor patrimonial, que integram o Festival Cultural da Serra da Estrela, das Beiras e da Raia Histórica – em castelos, ruínas romanas, num parque, num pelourinho, num povoado pré-histórico”.

“Serão vários os músicos e artistas convidados a atuarem nos 15 municípios que compõem a CIM-BSE e nos dois municípios convidados, Vila Nova de Foz Côa e Aguiar da Beira. De destacar as obras de Fátima Fonte e Ana Seara, encomendadas para o ‘CIMfonia’, e também a criação de obras que resultam da interação entre os artistas Rui Massena, IAN, Filipe Raposo, Júlio Resende e jovens músicos da bandas filarmónicas e escolas de música da região”, acrescenta.

O maestro e curador do “CIMfonia”, Osvaldo Ferreira, refere, citado na nota, que sob a égide do “apelo do interior”, a iniciativa pretende “através das artes, criar laços orgânicos com a terra, com o passado, na tentativa de proporcionar a melhoria da qualidade de vida” na região.

Depois da estreia do projeto na Guarda,o Toy Ensemble visita o castelo de Trancoso com os “Autos das Barcas de Gil Vicente”, no dia 28 de maio, ​​​​​​​e, a 10 de junho, em Gouveia, atuam João Barradas e o Quinteto de Cordas da Orquestra Sinfónica de Gouveia.

No dia 20 de junho, Belmonte recebe Drumming Grupo de Percussão e, a 26, Pinhel conta com a prestação de Júlio Resende, Valéria Carvalho e solistas das Bandas Filarmónicas de Pinhel e de Pínzio.

A 06 e 30 de julho, o Toy Ensemble atua em Figueira de Castelo Rodrigo e em Celorico da Beira, respetivamente. No dia 31 de julho, no Fundão, atuam Les Secrets des Roys.

Em agosto, a IAN e a Filarmónica de Manteigas marcam presença no dia 13, em Manteigas e, no dia 27, em Fornos de Algodres, sobem ao palco Filipe Raposo e Rita Maria, seguindo-se Valéria Carvalho, dia 28, no pelourinho de Aguiar da Beira.

Em setembro haverá concertos na Covilhã (dia 04, com o maestro Rui Massena a solo no piano), e da Orquestra Académica Filarmónica Portuguesa na Mêda (09), no Sabugal (10), Seia (11) e Foz Côa (12).

O último concerto do “CIMfonia”, um projeto que está associado à candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027, acontecerá no dia 21 de novembro, em Almeida, com a atuação de Rare Folk.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *